Formulário de Busca

17/07/2008 - 11h29

Pesquisa canadense mostra como vício do cigarro se instala entre adolescentes

Estudo mostra que, meses depois das primeiras tragadas, já é difícil parar de fumar.
Meninas têm mais facilidade de deixar dependência de lado do que os meninos.
Luis Fernando Correia Especial para o G1 entre em contato
ALTERA O
TAMANHO DA LETRA
Saiba mais

Parar de fumar é um bocado difícil, e a descoberta dessa dificuldade pode ser tão precoce quanto o início do vício. Adolescentes fumantes tentam parar de fumar e não conseguem. Muitas vezes as tentativas de largar o cigarro começam poucos meses após a primeira tragada.

 

Luis Fernando Correia é médico e apresentador do "Saúde em Foco", da CBN

A descoberta foi feita por pesquisadores da Universidade de Montreal (Canadá) e da Sociedade Canadense do Câncer. O resultado da pesquisa está publicado no site da revista "American Jorunal of Public Health".

Durante cinco anos, um grupo de 319 adolescentes respondeu questionários a cada três meses. Os relatórios mostraram como os jovens se relacionam com o tabaco. Mais de 70% dos adolescentes declararam que gostariam parar de fumar, mas somente 19% deles conseguiram ficar mais de um ano longe do cigarro durante os cinco anos do estudo.

 

 Progressão

Um dado interessante foi a descoberta de como um adolescente progride dentro do vício. A idade da iniciação fica entre os 12 e 13 anos. Depois da primeira tragada, em média se passam nove meses até que o jovem precise fumar todos os meses. Mais um ano e meio e o cigarro passa a ser semanal na vida desse adolescente. Finalmente, em menos de dois anos, a dependência se torna completa e eles sentem a necessidade de fumar todos os dias.

Se avaliarmos os dois sexos em separado, as meninas são mais pragmáticas. Tentam parar mais vezes e conseguem um índice de sucesso maior do que o meninos. Esses resultados mostram que a legislação que controla o acesso dos jovens ao cigarro deve ser cada vez mais implementada. Além disso, novas estratégias para facilitar o fim do hábito se mostram necessárias.

Leia mais notícias de Ciência e Saúde




busca por


editorias


G1 especiais


serviços



Formulário de Busca


2000-2008 globo.com Todos os direitos reservados. Política de privacidade